Entrada Ria Formosa Bivalves Locais de Observação

Locais de Observação

 

Locais de Observação na Ria Formosa    

São vários os locais da ria formosa, para observação de bivalves:

1º- Nas praias podem encontrar-se grande variedade de conchas. Apesar de muitas delas estarem erodidas, e portanto desprovidas das suas cores e traços originais, as praias constituem mesmo assim um local de fácil acesso, onde é possível recolher grande número de conchas.

2º- Nos mercados é possível encontrar as espécies comerciáveis. As mais comuns pertencem ao género tapes (amêijoas boas e amêijoas comum), cerastoderma (berbigão) ensis (lingueirão). Algumas espécies como a amêijoa branca, muito comuns no mercado, provêm na maior parte das vezes da região marinha adjacente.

- Locais de estrutura sólida (acessos portuários, locais rochosos, pontes, ancoradouros, etc..) servem para a fixação de algumas espécies sedentárias, das quais as mais abundantes são as pertencentes ao género Mytilus (mexilhões).

4º- Viveiros e interior da laguna. Nos viveiros podem-se observar os mariscadores na sua actividade de apanha. Entre as espécies aí cultivadas a Ruditapes decussatus (amêijoa boa) é a mais explorada.

Alguns viveiros, como os da ilha da culatra, podem ser visitados utilizando as carreiras diárias Olhão-Culatra-Farol e volta,   igualmente No entanto, para muito deles é imprescindível ter um barco, o qual permite explorar praias, cabeços, zonas de sapal, etc., nos quais é possível encontrar durante a maré vazia uma enorme variedade de espécies. É no interior da laguna que se pode observar os bivalves no seu habitat natural, no entanto há que ter cuidado de não perturbar outras espécies, nomeadamente aves, nem poluir ou sujar a ria.