Entrada Feiras-Mercados

Mercados-Feiras

Mercados - Feiras

A fantasia das feiras e mercados me encanta, de tal modo que desperta em mim uma sensação de existir algo livre, em que as pessoas que a integram e participam o fazem, de uma forma "diferente" de tudo aquilo que estamos habituados. Todo o ar que envolve, a compra, a venda, os expositores, as crianças e a liberdade de se fazer aquilo que se gosta e de se estar num meio de venda único e que é das próprias pessoas que a integram, sendo para mim, o sinal de escolha, de opção e de se fazer aquilo que se bem gosta e que se está habituado a viver nele.

Ao contrário de muitas pessoas, eu penso que as feiras, mercados, velharias, são um grande tributo a muitas culturas e gerações que têm estado presente, são a riqueza de muitos sítios, dão uma alegria enorme a qualquer sitio nos dias em que a mesma é acolhida, tem um perfume que por mais que queira e me esforce não consigo de forma alguma, acalentar o perfume das grandes superfícies, sei que, tudo como é óbvio faz falta, mas uma coisa sei e tenho a certeza, estas feiras-mercados fazem muita falta, mas muita falta mesmo, porque muitos nem sabem a falta que faz, porque nunca por lá passaram, nunca sentiram aquela euforia de se estar, caminhar e ver a involvência destes sitios.

Ia muito à feira que se realizava em Olhão, era de uma dimensão enorme, e foi com grande tristeza minha quando vi a mesma desaparecer. Nos Domingos que se realizava Olhão, junto à Doca, era um mar de pessoas sem fim, uma alegria na rua sem igual e era um movimento bonito, que penso que não dava má imagem de Olhão se as arestas tivessem sido bem limadas, mas, a solução por vezes ideal é o desaparecimento e assim aconteceu.

Ia também muito à feira de Cacela, era enorme também, e de um dia para outro ficou reduzida a mais de metade, quem manda é que sabe, ou deveria muitas vezes saber, eu, como estou de fora, expresso a minha opinião e com desagrado pelas coisas que gostava e desapareceram.

As Velharias da Fuseta que se realizam no primeiro Domingo do mês, também foi para mim, mais uma decepção, a cobrança fez com que a maioria saísse pura e simplesmente da feira, ficou reduzida a mais de metade, enfim,...

Será que o dinamismo das terras e das gentes não conta? A forma de se fazer dinheiro é só colectar aos contribuintes, a forma que este País tem de fazer dinheiro é tirar do Zé Povinho tudo e espremê-lo até à última gota? Será que os nossos políticos não são sensíveis a estes problemas, bom, também acredito que muitos nunca foram a uma feira e a muitos outros sítios e como tal estão desculpados, pois a sensibilidade muitas vezes não chega a coisas tão simples, pois as grandes coisas é que contam para se fazerem grandes obras, este é que é o grande mal de tudo isto....

Viva as Feiras, Mercados, Velharias