Entrada Olhão Porto de Pesca

Porto de Pesca

Porto de Pesca Olhão

Porto de abrigo, local onde se encontra todo a frota de pesca de Olhão, desde as traineiras, barcos da marinha, barcos de recreio, entre outros mais. Servindo também para a descarga de Peixe. Porto de Pesca com um passado histórico relevante. Tentamos com a presente página dar a conhecer um pouco de tudo que fez do nosso porto de Olhão Conhecido.

Breve história

Cerca de 1970 os pescadores dedicavam-se à pesca da pescada, destinada não só ao consumo local, mas também para exportação, nos quais andavam cerca de 500 homens em 30 barcos. Também na altura se capturavam peixes denominados, negras e quelmes, cuja pele era usada para fazer lixas, o seu óleo para iluminação e a carne para a alimentação, depois de seca.

O primeiro barco que se fixou em olhão foi o caíque. Este barco já existia em Faro, a cerca de 8 Km de Olhão e era aqui que eles vinham abastecer-se de água para consumirem. É a água que está associado o nome de Olhão, que provêm exactamente de um grande olho de água que existia. O principal pescado nesta época era a pescada, goraz, sardinha, besugo, cavala, corvina, pargo, atum, várias espécies de peixe de couro como o carocho e barroso. Estas espécies eram capturadas pelos caíques. Entretando desapareceu este barco, vencido pelo tempo, mas só depois de um passado glorioso que honra a própria terra da restauração. A presença do caíque brazonando o seu pendão é motivo para enobrecer Olhão. Foi num caíque que um grupo de gente do mar partiu de Olhão em 1808 para ir levar a D. João VI no Brasil a notícia do levantamento popular coroado do maior êxito, que nesta humilde terra pequenina se iniciara para libertar o país dos soldados de Napoleão. Foi neste mesmo barco que partiram para Angola há mais de um século colonizadores, que criaram cidades, onde desenvolveram as artes de pescas em que eram vivamente entendidos. Por força do destino hoje vemos que estas viagens foram um quanto ou tanto inglórias, visto Angola se encontrar num caos.

 

Olhao.net Copyrigth Autor João Barros