Entrada Ria Formosa Aves Aves-Ria Formosa

Aves-Ria Formosa

Ria Formosa                                                       

A Ria formosa é uma formação laguar costeira que ocupa grande parte do litoral algarvio. Os avanços e recuos das marés e a baixa profundidade das águas, possibilita a existência de um ecossistema com grande riqueza de formas de vida, nomeadamente de crustáceos, moluscos, anelídeos, e peixes, assim como dos principais.
A sua extensão, permite quantitativos importantes de determinadas espécie, contagens feitas durante o inverno pelo serviços nacional de parques, reservas e conservação da natureza indicam a existêcia de 20.000 a 30.000 limícolas, passando muitas mais pela ria formosa durante as viagens migratórias entre a Europa e África entre as aves invariantes são também de considerar os patos, com mais de 4000 aves. A ria sustenta populações importantes de outras espécies aquáticas, destacando-se uma das mais raras aves da Europa: o caimão-comum porphyrio. Consequentemente, a ria formosa é considerada de importância ornitologia internacional e uma componente vital da cadeia de zonas húmidas costeiras. De entre as aves observadas salientam-se, como seria de esperar, as aves aquáticas. No conceito de aves aquáticas procura-se englobar todas as espécies que estão mais ou menos ligadas a biópodos húmidos. Existem, no entanto, aves que podendo viver nos locais distantes de água, como a Garça-boieira e a cegonha-branca, ou que vivem parte do ciclo anual fora de biótopos húmidos, como é o caso do Maçarico-real durante a época de reprodução, que são consideradas aves aquáticas, uma vez que depende da ria, durante a sua estadia.
Consoante a época do ano, pode-se observar diferentes aves assim como variações no seu numero. A maior parte das limícolas e patos estão presentes somente durante o inverno. Das 10 espécies de anatídeos presentes como invariantes apenas um a espécie nidifica na ria e em locais de água doce adjacentes, enquanto que das 27 espécies de limícolas, só 6 a 8 nidificam. As graças, por exemplo, são mais abundantes durante todo o ano (residentes), podendo a sua população aumentar durante parte do ano em consequência da chegada das aves migrantes, é o caso do Galeirão-comum.

 

 

Last Updated (Tuesday, 28 April 2009 22:31)